Comissão e a indústria investem 22 mil milhões de EUR em novas parcerias europeias

    15 Junho, 2021 José Ricardo Sousa 46 Sem comentários

    A Comissão lançou hoje onze novas parcerias europeias, juntamente com a indústria, para impulsionar os investimentos em investigação e inovação e superar os grandes desafios em matéria de clima e sustentabilidade, no sentido de tornar a Europa a primeira economia com impacto neutro no clima e concretizar o Pacto Ecológico Europeu. Em consonância com os objetivos da dupla transição ecológica e digital, as parcerias também concretizarão as ambições digitais da UE para a próxima década, a Década Digital da Europa. Receberão mais de 8 mil milhões de EUR do Horizonte Europa, o novo programa de investigação e inovação da UE para 2021-2027. O total das autorizações, incluindo as dos parceiros privados e dos Estados-Membros, ascende a cerca de 22 mil milhões de EUR.

    Esta massa crítica de financiamento permite que as parcerias procurem soluções inovadoras em larga escala para, por exemplo, as emissões das indústrias energívoras e os setores de difícil descarbonização, como o transporte marítimo e a siderurgia, permitindo-lhes igualmente desenvolver e implantar baterias para alto desempenho, combustíveis sustentáveis, ferramentas de inteligência artificial, tecnologias de dados, robótica, etc. A congregação de esforços, recursos e investimentos, conjuntamente e em grande escala, no âmbito das parcerias, também terá repercussões positivas a longo prazo, reforçando a competitividade e a soberania tecnológica europeias, criando emprego e impulsionando o crescimento.

     

    As onze parcerias europeias são as seguintes:

    1. Parceria Europeia de Ciência Aberta na Nuvem. Visa implantar e consolidar, até 2030, um ambiente virtual aberto e de confiança, que permita aos cerca de dois milhões de investigadores europeus armazenar, partilhar e reutilizar dados de investigação, sem limites de fronteiras ou de disciplinas.
    2. Parceria Europeia de Inteligência Artificial, Dados e Robótica. Para que a Europa retire maiores benefícios da inteligência artificial, dos dados e da robótica, esta parceria impulsionará a inovação, a aceitação e a adoção destas tecnologias, em benefício dos cidadãos e das empresas.
    3. Parceria Europeia da Fotónica (tecnologias baseadas na luz). Visa acelerar as inovações no domínio da fotónica, garantir a soberania tecnológica da Europa, aumentar a competitividade da economia europeia e promover a criação de emprego a longo prazo e a prosperidade.
    4. Parceria Europeia para o Aço Limpo – Siderurgia Hipocarbónica. Apoia o papel de liderança da UE na transformação da indústria siderúrgica numa indústria neutra em termos de carbono, servindo de catalisador para outros setores estratégicos.
    5. Parceria Europeia Made in Europe. Será a força motriz da liderança europeia na indústria transformadora sustentável na Europa, aplicando os princípios da economia circular (zero resíduos, entre outros), na transformação digital e na indústria transformadora com impacto neutro no clima.
    6. Parceria Europeia Processes4Planet. Tem como visão a liderança das indústrias transformadoras europeias, a nível mundial, no âmbito do objetivo de neutralidade climática até 2050, centrando-se fortemente nas tecnologias hipocarbónicas, nas circularidades, como os polos de circularidade, e na competitividade.
    7. Parceria Europeia para Um Ambiente Construído Sustentável Orientado para as Pessoas (Built4People). Tem como visão ambientes construídos (como edifícios e infraestruturas, entre outros) de elevada qualidade, hipocarbónicos, eficientes em termos energéticos e de recursos, que impulsionem a transição para a sustentabilidade.
    8. Parceria Europeia para o Transporte Rodoviário com Emissões Zero (2Zero). Visa acelerar o desenvolvimento de transportes com emissões zero, com uma abordagem sistémica que apoie um sistema de transporte rodoviário limpo e com impacto neutro no clima.
    9. Parceria Europeia para a Mobilidade Conectada, Cooperativa e Automatizada. Tem por objetivo acelerar a implementação de tecnologias e serviços de mobilidade inovadores, conectados, cooperativos e automatizados.
    10. Parceria Europeia para Uma Cadeia de Valor Competitiva na Indústria das Baterias. Visa apoiar o desenvolvimento de um ecossistema europeu de investigação e inovação de craveira mundial no domínio das baterias e promover a liderança industrial europeia na conceção e produção de baterias para a próxima geração de aplicações fixas e móveis.
    11. Parceria Europeia para o Transporte Aquático com Emissões Zero. Tem por objetivo que a UE lidere e acelere a transformação dos transportes marítimos e fluviais, a fim de eliminar todas as emissões nocivas para o ambiente, incluindo os gases com efeito de estufa e os poluentes atmosféricos e aquáticos, por meio de tecnologias e operações inovadoras.

    A Comissão adotou hoje memorandos de entendimento para lançar as parcerias, que iniciarão imediatamente as suas atividades. Uma cerimónia de assinatura dos memorandos de entendimento terá lugar nas Jornadas Europeias da Investigação e Inovação, que se realizarão em 23 de junho.

    Os membros do Colégio de Comissários exprimiram-se a este respeito:

    Margrethe Vestager, vice-presidente executiva de Uma Europa Preparada para a Era Digital, «A cooperação é fundamental para superar os desafios da transição ecológica e digital da Europa e as tecnologias digitais estão a impulsionar esta transição para uma economia com impacto neutro no clima, circular e mais resiliente. As onze parcerias, que a Comissão e a indústria propuseram hoje em conjunto, mobilizarão recursos significativos, cerca de 22 mil milhões de EUR, para que possamos identificar conjuntamente a inteligência artificial fiável, os dados, a robótica e muitos outros instrumentos tecnológicos para alcançar os nossos objetivos ambientais e climáticos, com vista a um futuro mais limpo e saudável.»

     

     

    Contexto

    As onze parcerias para as quais foram hoje adotados memorandos de entendimento são parcerias europeias «coprogramadas» – parcerias entre a Comissão e parceiros maioritariamente, mas não exclusivamente, privados. Decorrerão de 2021 a 2030, o que lhes permitirá contribuir para os últimos convites à apresentação de propostas ao abrigo do Horizonte Europa e concluir posteriormente as suas últimas atividades.

    O memorando de entendimento constitui a base para a cooperação numa parceria, uma vez que especifica os objetivos da mesma, os compromissos de ambas as partes e a estrutura de governação. As parcerias proporcionam igualmente à Comissão contributos sobre temas relevantes a incluir nos programas de trabalho do Horizonte Europa. A execução decorre, antes de mais, por meio dos programas de trabalho do Horizonte Europa e dos respetivos convites à apresentação de propostas. Os parceiros privados desenvolvem atividades adicionais, que não são financiadas pelo Horizonte Europa, mas que estão incluídas nas agendas estratégicas de investigação e inovação da parceria e incidem em questões como a implantação no mercado, o desenvolvimento de competências ou os aspetos regulamentares.

    Estas parcerias europeias «coprogramadas» são diferentes, mas também complementares, das parcerias europeias «institucionalizadas», mais complexas, que se baseiam numa proposta legislativa da Comissão e têm uma «estrutura de execução específica». No início deste ano, em fevereiro, a Comissão propôs a criação de dez novas parcerias europeias «institucionalizadas» entre a União Europeia, os Estados-Membros e/ou a indústria. Com um investimento de quase 10 mil milhões de EUR, a que os parceiros aduzirão um montante pelo menos equivalente, visam acelerar a transição para uma Europa ecológica, digital e com impacto neutro no clima, bem como tornar a indústria europeia mais resiliente e competitiva.

    Para mais informações

    Parcerias Europeias

    Perguntas frequentes – Parcerias europeias

    Ficha informativa

    Infografia